Pataniscas Satânicas

Pataniscas Satânicas

domingo, 4 de outubro de 2015

Vieses Eleitorais - Primeiras reacções

Passos Coelho assume discurso vitorioso: ''Tenho a agradecer a vitória, e dizer ao Povo Português que vamos cumprir as promessas eleitorais! Parece, no entanto, que os Portugueses fizeram um corte no nosso número de deputados, por isso teremos também que pensar em alguns cortes. Felizmente, somos muito competentes nisso, e quem é que precisa de um serviço de Saúde/Educação Público, que funcione? Agradeçam aos santinhos isto não ser a Grécia (bocejo).'' Apenas um refugiado Sírio recém naturalizado ficou surpreendido, sendo que a maioria dos Portugueses já estava em depressão de fim de domingo.

António Costa diz que Portugal é um país onde não existem oportunidades e começa a fazer preparativos para emigrar, enquanto os seus apoiantes expressam profundo pesar pelo adiamento do jogo do Benfica. Seria a única oportunidade de terem uma alegria hoje.
António Costa atribui as responsabilidades deste resultado a Sócrates, a Seguro, à Grécia e ao Árbitro, que não viu duas grandes penalidades claras, e uma mão na bola de Paulo Portas.


Ricardo Salgado votou com escolta policial. Sócrates votou, sem escolta policial. Cavaco votou, com um amigo que o ajudou a ir para casa a seguir, para o Presidente não se perder. Cavaco Silva diz também que ficou cansado e amanhã fica em casa a descansar. Ouve umas confusões em Oeiras, mas nada mais grave que as filas previstas para comprar o iPhone 6s. 
E você começa a perguntar-se porque é que liga a televisão ao domingo...

O Bloco de Esquerda teve um resultado impressionante, e promete projectos de lei no sentido de resistir à política de direita, assim como fornecer haxixe a todas as mulheres que abortarem repetidamente. O Bloco de Esquerda aproveita ainda para ''prometer tudo a toda a gente.''

A CDU teve uma grande vitória eleitoral. Felizmente os estatutos do partido impedem que seja de outra maneira. Jerónimo de Sousa congratulou-se ainda pela derrota da direita.

Nas notícias internacionais, Barack Obama diz que os bombardeamentos Russos na Síria dão força à oposição islâmica, e no dia a seguir, os Americanos bombardeiam Hospital dos Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão, sendo que morreram 19 pessoas no ataque.
Tentamos contactar o Kremlin, mas o Presidente Russo não respondeu às nossas perguntas, porque não conseguia parar de se rir.
Hoje, numa conferência de imprensa, o Presidente Americano disse aos jornalistas: ''Oopsie... mas vejam o lado positivo, estes bombardeamentos a hospitais não reforçam a oposição islâmica'', disse o Presidente, enquanto pontapeava o seu cão-de-água Português.

(Buuu! Buuuu!)

Facebook instala novo botão ''dislike'' e uma terceira opção, um pirete/manguito, que vai poder ser usado de maneira anónima para trollar. Mark Zuckerberg diz que é a opção ideal para usar nas páginas das pessoas que são tão felizes que até irrita, nas fotos de pessoas que expressam afeição pelo FCPorto, ou para mandar àquela pessoa que o está sempre a convidar para jogar o Candy Crush.
Antes de reagir negativamente a esta notícia, veja a opinião deste gato que vive na internet. 


A nova forma de expressar emotividade na rede social foi hoje usada por quase 40% dos portugueses, para exercer o seu dever cívico, ficando em casa a ver o Facebook, e a ler blogs idiotas.

O programa preferido das Pataniscas durante esta semana, foi o ''Isto é tudo muito bonito, mas'' com Ricardo Araújo Pereira. Infelizmente, não conseguimos ver alguns episódios, porque adormecemos durante os curtos intervalos do telejornal, com o genial 'jingle' de Tony Carreira, ''Somos todos um só/Somos quem acredita...''.


Vemo-nos no próximo pic nic do Continente! Agora voltando à internet, viva a Paf! FAP FAP FAP!

3 comentários:

  1. Quando conseguir parar de rir descontroladamente vou inventar um comentário espirituoso e espertalhão, mas isso ainda vai demorar uns 10minutos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é de facto a opção inteligente! Acho que vamos precisar de aprender a rir um bocado, e durante os próximos quatro anos devemos ter oportunidades em abundância. Especialmente de nós próprios!

      Eliminar